Bem vindo!

Bem vindo!Esta página está sendo criada para retransmitir as muitas informações que ao longo de anos de pesquisas coletei nesta Mesorregião Campo da Vertentes, do centro-sul mineiro, sobretudo na Microrregião de São João del-Rei, minha terra natal, um polo cultural. A cultura popular será o guia deste blog, que não tem finalidades político-partidárias nem lucrativas. Eventualmente temas da história, ecologia e ferrovias serão abordados. Espero que seu conteúdo possa ser útil como documentário das tradições a quantos queiram beber desta fonte e sirva de homenagem e reconhecimento aos nossos mestres do saber, que com grande esforço conservam seus grupos folclóricos, parte significativa de nosso patrimônio imaterial. No rodapé da página inseri link's muito importantes cuja leitura recomendo como essencial: a SALVAGUARDA DO FOLCLORE (da Unesco) e a CARTA DO FOLCLORE BRASILEIRO (da Comissão Nacional de Folclore). Este dois documentos são relevantes orientadores da folclorística. O material de textos, fotos e áudio-visuais que compõe este blog pertencem ao meu acervo, salvo indicação contrária. Ao utilizá-lo para pesquisas, favor respeitar as fontes autorais.


ULISSES PASSARELLI




terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Atualidades: coletânea de notícias de Matosinhos

A primeira década do século XXI

Vista panorâmica da Praça de Matosinhos e do santuário. 

Matosinhos se tornou um “bairro-cidade”, como dizem. Dividido em partes diversas, o seu conjunto forma o “Grande Matosinhos”.  A população, segundo o senso do ano 2000 é de 18.671 habitantes (sendo 9.080 do sexo masculino e 9.591 do feminino). Supõe-se que esses números estejam aquém da realidade, aliás para a cidade toda, pois de fato, são questionáveis. É o bairro da cidade com a maior população. Em extensão territorial só perde para a Colônia. Foi assim, agigantado em todos os sentidos, que adentrou no século XXI.

Os anseios dos moradores continuam os mesmos nos seus primeiros anos, sem solução à vista, sobretudo no que tange aos problemas de segurança pública, trânsito caótico, a inacreditável falta de um cemitério, ausência de bancos, infra-estrutura, saneamento do Córrego das Galinhas, enchentes que atingem a Avenida Santos Dumont  e a Vila Nossa Senhora de Fátima e outros mais.

A superação dessas questões se faz necessária para melhorar a qualidade de vida da sua população. Os avanços do terceiro milênio da era cristã, enfim, fazem com que, também o atual santuário tenha de encarar mudanças estruturais, no sentido de se adequar à recepção das grande levas de romeiros. Felizmente a restauração recente deste templo já foi um grande passo. Há na cidade sugestões de se retirar o muro com grade que resguardam o seu enorme adro. Esse muro é acusado de tornar a igreja feia e separatista [1] .

Como os acontecimentos desta década ainda estão frescos na memória local, optei expô-los com breves comentários, numa superficial listagem cronológica, restrita aos fatos mais relevantes.

2000:
-          As obras de drenagem do Córrego das Galinhas ocupam as páginas jornalísticas. É um reflexo de antiga reinvidicação popular, muito comentada [2].
-          Corte de árvores  na praça de Matosinhos é alvo de protestos [3].

2002:
-          Instalado em Matosinhos um caixa bancário eletrônico. O bairro se ressente muito da falta de agências [4].
-          A mesma edição anterior dá conta do alambrado colocado ao redor da estação ferroviária do bairro, no sentido de impedir as invasões que a alvejavam. Devido à tela, o prédio depredado ganhou aspecto de galinheiro e populares não tardaram apelidá-lo gaiatamente de “Granja Chagas Dória”.

2003:
-          Matosinhos continua atual e atuante na sociedade são-joanense, tendo importante participação em eventos cívicos a exemplo dos desfiles do dia sete de setembro [5](agora também no bairro em vez de só acontecerem no centro) e do movimento conhecido por Grito dos Excluídos [6], com destacada participação da paróquia local.
-          em maio é inaugurado o polêmico “trem” de alvenaria na Praça Senhor Bom Jesus de Matosinhos, fronteiro à matriz paroquial, em substituição aos trailers de chapa metálica, que ali existiam até então. O conjunto, tem a forma de uma composição ferroviária: a locomotiva, tipo Maria Fumaça, aloja banheiros, e os vagões são bares. Muitos consideraram não um melhoramento, mas a perpetuação dos antigos trailers sob outra fisionomia. Na mesma data se inaugurou a reforma da praça em si, cujo piso de concreto bruto foi revestido de ardósia; os jardins remanescentes foram suspensos em canteiros revestidos de pedras ao redor das árvores; a estátua da Deusa Ceres, ficou livre da grade que lhe cercava.
-          Air de Souza Resende denuncia em sua coluna jornalística que caminhões diversas vezes tem arrebentado fios telefônicos na Rua Mário Eugênio Ferreira, na Vila Nossa Senhora de Fátima, por estarem com cargas muito altas, superiores às legalmente permitidas [7].

2004:
-          A estação ferroviária de Chagas Dória continua abandonada, sem vislumbrar chance de restauração. Nos meios culturais esse foi um dos assuntos mais palpitantes desde a década anterior. Fortes chuvas na primeira quinzena de janeiro provocaram enchentes. As águas invadiram dentre outras áreas da cidade, em Matosinhos, a Vila Nossa Senhora de Fátima e a Avenida Santos Dumont, causando estragos. Foram incluídas pelo Corpo de Bombeiros e Defesa Civil entre as áreas de risco da cidade [8].
-          O colégio particular de ensino de segundo grau, MAXI, anexo ao IPTAN, é fechado, justificado por razões financeiras decorrentes do insuficiente número de alunos e porque a instituição proprietária priorizava o ensino superior [9].
-          O IPTAN (Insituto Presidente Tancredo Neves), instituição particular de ensino de terceiro grau, sediada em Matosinhos, ao lado do SENAI, muda de direção, saindo de mãos locais para as do grupo UNIPAC (Universidade Presidente Antônio Carlos), de Barbacena.
-          Inauguração de obras em Matosinhos: em fevereiro o Restaurante Popular II, com comida a preços módicos, na esquina da Avenida Sete de Setembro com Rua Eneida Sete Campos [10]; em 18 de março, tem início as obras de construção do Posto de Saúde do Bom Pastor [11]. No dia 31 do mesmo mês começa a funcionar o serviço de “Disk-ambulância” do bairro. Em maio foi recapiado o asfalto de várias vias na praça principal e seus arredores. No boca-a-boca de rua, as obras tiveram sua qualidade considerada duvidosa e de objetivos puramente eleitoreiros, já que naquele ano houve eleições municipais.
-          Alguns desafios persistem no bairro como o caso da violência, que aliás tem aumentado na cidade toda. A colocação das palavras seja capciosamente, seja por displicência, termina às vezes levando a um sentido dúbio que pode gerar má impressão. Assim, por exemplo, um tiroteio na Praça de Matosinhos, um domingo antes do Pentecostes de 2004, foi assim noticiado [12]“No último domingo, 30, na praça do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, no final da festa, um rapaz chegou de moto e atirou várias vezes”, etc. Tal nota foi diagramada bem ao lado da cobertura jornalística da Festa do Divino e em cor destacada. Ora, transmite a impressão que o tiroteio fez parte da festa ou que ocorreu por sua motivação ou descuido dos festeiros, quando na verdade, tendo ocorrido o fato pela madrugada, a programação festiva da novena terminara naquele Domingo, antes das 22 horas, já estando a igreja com o adro fechado e os festeiros recolhidos às suas casas. O movimento era externo, naturalmente violento todos os fins de semana, com ou sem festa, sendo raríssimo aquele que não sai briga. A própria polícia fora previamente oficiada sobre esta possibilidade bem antes do jubileu começar. Os noticiários radiofônicos também dão constante informação sobre a violência no bairro e os jornais continuam a noticiar a violência, independente de qualquer evento [13]. Ao que parece, o posto policial situado na praça estava sub-utilizado [14].
-          Outro desafio é o crescimento da consciência preservacionista e a recuperação patrimonial, como vem sendo feito reiteradas tentativas de restaurar a estação e o chafariz [15]locais. Está em andamento o projeto de recuperação da portada da igreja demolida, levada para o interior paulista [16].
-          O crescimento rápido sem acompanhamento estrutural adequado tornou o trânsito de Matosinhos caótico. José Cláudio Henriques tem sido a principal voz contra os absurdos deste tráfego, acerca dos acidentes, que estão acontecendo com freqüência. Além da entrevistas em rádios, escreveu bastante para O Grande Matosinhos e outros jornais sobre o tema, dando oportunas sugestões, aliás pouco escutadas pelas autoridades responsáveis. O trânsito pesado é uma destas vertentes [17].
-          Seguindo à tradição geral, Matosinhos também realiza suas festas juninas desvinculadas da igreja, como a que ocorre na praça, com barraquinhas e shows, sob a organização de Jair Trindade Soares e Leila Andrade, em 2003 e 2004, e o Concurso de Quadrilhas, no “Arraiá do Fredezan”, ganhando 1º lugar a quadrilha da Escola Municipal Prof. Elpídio Ramalho, em 2004 [18].
-          Polícia Militar prende infrator por ameaça, na Avenida Josué de Queiroz e ainda a mesma fonte jornalística anuncia a prisão de infratores em ônibus coletivo, na Rua General Aristides Prado [19].
-          Ocorre a 4 de setembro um debate aberto à comunidade entre os cinco candidatos a prefeito de São João del-Rei, no Centro Social e Cultural da Paróquia, organizado por setores paroquiais, tendo como mediador o advogado Lourenço André Pinto da Silva, de Barroso[20].
-          Na Praça do Senhor Bom Jesus de Matosinhos a Polícia Militar registra crime de apropriação indébita de uma motocicleta e na Rua José Falconieri dos Santos os policiais prendem ladrões e recuperaram o produto roubado [21].
-          Dia 29 de setembro foi inaugurada a iluminação do campo de futebol do Clube Figueirense. A obra fez parte do “Campos de Luz”, projeto do governo estadual. Graças à mesma fonte de recursos, foi realizado na mesma época o desassoreamento do Ribeirão da Água Limpa, no trecho Ponte da Rodoviária rumo à foz, o que tende a aliviar os problemas de enchente[22]. Outra fonte destaca que o simples desassoriamento, sem alargar o leito, pode não aliviar o problema das enchentes [23].
-          A imprensa clama a continuidade dos problemas de trânsito em Matosinhos. Nas imediações da “Ponte dos Cachorros” a via de mão única estabelecida, apenas transferiu de lugar o problema existente. A mesma edição, no editorial, reclama para o grande bairro uma administração regional, com uma lista básica de dez reinvindicações, dentre as quais, apoio para os jubileus [24].
-          A 08 de outubro é protocolado pelo IHG (Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei) um requerimento na 3a. Promotoria de Justiça da Comarca de São João del-Rei, originando abertura de inquérito civil, n.077/2003, para apurar possível dano ao patrimônio cultural da cidade. O objetivo central é a recuperação da portada da igreja demolida, do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, levada para a Fazenda São Martinho da Esperança (Campinas / SP) [25];
-          Inicia em outubro a reforma da Estação Ferroviária Chagas Dória, pela ferrovia Centro Atlântica. A restauração, a tempos reivindicada, incluiu o telhado (de telhas inglesas planas), plataforma de embarque/desembarque, o lado externo e interno do prédio, inclusive a pintura [26].
-          Neste mesmo ano falece o Cônego Jacinto Lovatto Filho, sendo sepultado no Cemitério do Pilar. Os comentários publicados na imprensa refletiram a polêmica em torno de sua pessoa, que arrebanhou admiradores e críticos pela demolição da antiga igreja do bairro e construção da atual [27].
-          Um homem é espancado por uma turma de 17 pessoas na Praça de Matosinhos [28].
-          Programado para 8 de dezembro pela Ferrovia Centro-Atlântica, a entrega das obras de reforma da Estação Ferroviária de Chagas Dória, para inauguração, como parte das comemorações dos trezentos anos de São João del-Rei [29]. O evento ocorreu porém a primeiro do mês seguinte. O prédio passou a abrigar um posto da Polícia Militar, o que causou grande polêmica, pois a vaga era justa e pretendida pela ASMAT (Associação dos Moradores e Amigos do Grande Matosinhos), já que a PM tem posto erguido em plena praça, na ocasião fechado, embora fosse novo.
-          Apuração policial de brigas de ganguese formação de quadrilhas dá conta em Matosinhos da existência do CV (Comando da Vila Santa Terezinha). Ao término desse ano, foram apreendidas armas no bairro, drogas, registrados assaltos e tentativas de homicídios [30].

2005:
-          Ocorre um assassinato a 7 tiros na Rua Batista de Castro, dia 17 de janeiro [31].
-        No primeiro semestre (período de 15 fev./30 maio), entre as reuniões da câmara municipal, foi aprovada a autorização ao executivo, no sentido de doar terreno onde funcionou o matadouro, ao Lar de Amparo e Promoção Humana (Lares Solidários), segundo informativo mensal do vereador “Bolão” – Maurílio Caxias Chafic Hallak - Presidente da dita Câmara, publicado na imprensa local.
-          O prédio onde funcionou o IPTAN, na Rua Salomão Batista de Sousa, passa a abrigar a partir de abril, cinco secretarias municipais: Saúde, Desenvolvimento Social, Articulação Comunitária e Esportes, Meio Ambiente, Educação [32].
-          Com a desocupação do coreto do centro da cidade, há tanto prometida e esperada, vem novamente à baila o tema dos espaços públicos ocupados por trailers: 102 registrados na cidade, dos quais 29 estão em Matosinhos. As medidas moralizadoras prometidas abraçariam também as placas publicitárias irregulares, como as que se põem sobre calçadas, problema também freqüente em Matosinhos [33].
-          A Polícia Militar do Meio Ambiente embarga a 3 de maio o loteamento Lombão II, entre Matosinhos e Bom Pastor, por ter sido construído sem licença do CODEMA (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente). A empresa responsável foi multada [34].
-          Um jovem é assassinado no bairro com um tiro na cabeça, a 19 de maio[35].
-          Os evangélicos promovem em maio a 7ª Marcha para Jesus, partindo da Praça de Matosinhos até a de Santa Terezinha, via Josué de Queiroz, onde várias apresentações de ordem religiosa, cultural e artística completam o evento, que contou com a participação de aproximadamente 15 igrejas evangélicas regionais [36].
-          Dia 01 de março inaugura-se a restauração da Estação Ferroviária de Chagas Dória, providenciada pela Ferrovia Centro Atlântica. A obra foi providencial. A estação, um dos últimos monumentos históricos de Matosinhos, estava em estado de total abandono, descaracterizada, em ruínas, depredada, invadida. Sua restauração vinha sendo reivindicada há muito pela ASMAT (Associação de Moradores e Amigos do Grande Matosinhos), que chegou a encomendar a arquiteta Zuleika Teixeira Lombardi um projeto de recuperação da estação ferroviária[37].
-          Em março inicia-se a Exposição Permanente de Artesanato de Matosinhos, na plataforma da estação local. Realização da ASMAT, contando com várias atrações.
-     Inaugurada a nova sede da Escola Municipal Professor Elpídio Ramalho, no antigo prédio da TELEMAR, na Rua Herculano Veloso, em regime de comodato [38].
-          Dia 12 de junho, noticiaram as emissoras de rádio locais, houve um tiroteio na Praça de Matosinhos, ferindo uma jovem. A polícia apreendeu a arma usada, revólver calibre 38, que estava oculto num jardim. O autor dos disparos foi um menor de idade.
-          Inicia em junho a obra de desassoreamento do imundo Córrego das Galinhas, que separa o Bom Pastor do Pio XII. É uma antiga e insistente reivindicação dos moradores e associações de bairro. É planejado para outra etapa sua canalização e instalação de emissários e unidades de tratamento de esgoto [39].
-          De 24 a 26 de junho, na Avenida Presidente Tancredo Neves, ocorreu a Feira da Solidariedade, promovida por três secretarias municipais. A Comissão do Divino participou a caráter, num desfile aberto pelo alferes da bandeira, ladeado por dois ponteiros, os três a cavalo, portando bandeiras do Paráclito; folia do Divino, congado, imperador sob a umbela, com sua guarda de honra [40].
-          Em julho continua o pedido de atenção dos moradores para o caótico trânsito de Matosinhos, sobretudo para o fim do estacionamento na Avenida Josué de Queiroz como condição para conservar a mão dupla ou, em melhor alternativa, estabelecer nessa via a mão única, passando a outra via para a Avenida Sete de Setembro; mão única para a Rua Professor João Maciel (Vila Nossa Senhora de Fátima) [41].
-          A UFSJ (Universidade Federal de São João del-Rei), direciona o projeto Cidadania e Justiça Ambiental à Vila Nossa Senhora de Fátima. Foi criado o veículo informativo “Folha da Vila” [42].
-          Em agosto principiou a demolição do ex-matadouro municipal, situado na esquina das ruas Elói Reis e Amaral Gurgel, junto à linha férrea.
-          Em agosto ocorre a mudança da Cooperativa de Crédito Rural do Campo das Vertentes para o centro da cidade, trazendo à tona a velha reivindicação de uma agência bancária para Matosinhos [43].
-          Registrado mais um assassinato, a 05 de agosto, ora na Avenida Santos Dumont [44].
-          O pesquisador José Cláudio Henriques lança dois livros a 26 de agosto: “Bairro de Matosinhos, berço da cidade de São João del-Rei” (história) e “Maria Angélica, a desejada dos Inconfidentes” (romance-histórico). O evento aconteceu no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, em Juiz de Fora [45].
-          Registrada tentativa de homicídio na Rua Jesus Silva no dia 28 de agosto. A polícia prendeu em flagrante o autor dos disparos [46].
-          A 04 de setembro a Praça de Matosinhos sedia um projeto de contos populares em homenagem ao bicentenário do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen [47].
-          A 07 de setembro ocorre o 8º Grito dos Excluídos, como parte da programação do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos. Com a participação da Igreja Metodista e da Igreja Portas Abertas, o ato ecumênico de protesto contra a corrupção e as diferenças sociais do Brasil, partiu da Avenida Presidente Tancredo Neves rumo ao Santuário de Matosinhos [48].
-          Forte batida entre dois caminhões na Avenida Josué de Queiroz, dia 28 de setembro assusta os moradores. Os problemas de trânsito no bairro são sérios e motivam desde longa data diversas reclamações [49].
-          A ASCAS (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de São João del-Rei), inaugura a 17 de outubro em Matosinhos, a sua sede, a Rua Carlos Guedes, graças aos esforços próprios e a parceria com várias entidades [50].
-          Em novembro inicia-se a construção do Lar de Amparo e Promoção Humana (Projeto Lares Solidários) no terreno onde se situava o antigo matadouro. Destinado a programas sociais, os recursos para investimento, vieram do BNDS (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) [51].
-          Dia 11 de novembro a polícia registrou tentativa de homicídio por arma de fogo na Rua João Feliciano. A mesma fonte informa que no dia 13 de novembro a polícia apreende cocaína em danceteria situada na Rua Dr. Elói Reis [52].
-          O 38º Batalhão da Polícia Militar, sediado em São João del-Rei, divulga o Plano de Segurança Participativa, que dentre outras coisas, prevê a setorização das ações. Foram criados quatro Setores de Policiamento Comunitário, um dos quais em Matosinhos, abrangendo: Bom Pastor, Colônia do Bengo, Jardim Paulo Campos, Pio XII, Quinze de Janeiro, Residencial JK, Santa Terezinha, Santo Antônio, Vila Caiçara, Vila Jardim Nossa Senhora de Fátima, Vila Jesus Silva, Vila João Lombardi, Vila Nossa Senhora de Fátima, Vila Sagrado Coração de Jesus, Vila São Paulo [53].
-          Assassinato no cruzamento da Av. Josué de Queiroz com Rua Herculano Veloso. A vítima recebeu um tiro na cabeça, no dia 29 de novembro [54].

2006:
-          Moradores da Rua Água Limpa, próximo ao Campo do Siderúrgico, reclamam do desleixo daquela via por parte das autoridades, com problemas de entulhos, enchentes, iluminação e pragas [55].
-          Atividade preventiva contra o risco de um surto de dengue é levada a efeito na Vila Santo Antônio, onde foi detectado um caso suspeito. Houve pulverizações de inseticidas [56].
-          Dia 6 de fevereiro a PM registra assassinato a tiros de um menor na Rua Ouro Preto, Bom Pastor [57].
-          Uma animada carreata a 18 de março, corta a cidade, com os veículos enfeitados e buzinando, tendo o caminhão dos bombeiros na dianteira, com a imagem de São João Bosco em cima. Foi realizada em comemoração aos setenta anos de criação da paróquia de que esse santo é patrono. A passagem por Matosinhos foi muito festiva, tendo os sinos do santuário dobrado insistentemente.
-          A 13 de março foram encontrados dois cadáveres no mato, nas proximidades do Campo do Figueirense, na Avenida Santos Dumont. As vítimas foram mortas a tiros [58].
-          Rebelião na penitenciária do Mambengo, a 15 de março, termina com três detentos feridos. A causa indicada seria uma disputa entre um grupo de detentos do Bairro Tijuco com outro de Matosinhos. A fonte é a mesma da notícia anterior.
-          “A inauguração do novo Carramanchão do Social F.C., em 29/03/06, contou com a presença do Bispo Diocesano “Dom Waldemar”, autoridades municipais e estaduais (representantes), ex-presidentes do clube e socialinos natos. Batizou-se com o nome de “Altair Guimarães”, grande figura do clube, notabilizado atleta e diretor. Gestão: José Francisco de Castro - Chico Explosão” [59].
-          Apreensão de crack na Rua Santa Madalena, Bairro Bom Pastor. O traficante foi preso em flagrante [60].
-          Polícia Militar a 12 de abril, apreende dois adolescentes por crime de agressão, na Rua Sílvio Costa [61].
-          Tentativa de homicídio na Praça do Sr. Bom Jesus de Matosinhos. Um menor foi alvejado. A polícia prendeu em flagrante um dos suspeitos [62].
-          A folia do Divino das Águas Férreas fez apresentação de destaque na “Festa da Família”, efetivada na tarde de 20 de maio, na Escola Municipal Bárbara Heliodora.
-          Autor de homicídio em Matosinhos é condenado a 12 anos de reclusão em regime fechado, sendo recolhido à cadeia do Mambengo [63].
-          Segundo a mesma fonte, na Avenida Sete de Setembro, uma estudante ameaçou a uma outra com um canivete, sendo apreendida em flagrante.
-          Ainda esta fonte comenta sobre as comemorações dos 14 anos da Escola Elpídio Ramalho, contando com várias atividades, dentre as quais exposições de trabalhos artísticos, danças, inauguração de brinquedoteca.
-          Moradores da Rua Carlos Montuanelli (na Praça Pedro Paulo) fazem reparos locais por sua própria iniciativa.
-          Inaugurado a dez de junho o Lar Solidário, construído no terreno onde funcionara o matadouro, contando com várias atividades para crianças e adolescentes [64].
-          Homicídio no Bom Pastor. Um ciclista é alvejado por quatro tiros e falece no local [65].
-          Em junho tratores fazem obras no bairro: na Avenida Josué de Queiroz e Praça do Sr. Bom Jesus de Matosinhos é feito recapiamento asfáltico, pintura de faixas, instalação de refletores “olho de gato”; no Ribeirão da Água Limpa, próximo à rodoviária, desassoreamento do leito.
-          No Centro Social e Cultural da Paróquia de Matosinhos é realizado o II Encontro de Cura Interior, evento com a presença de vários nomes importantes da música religiosa. Participação da Comunidade Kerygma, desta cidade e da Rede Canção Nova.
-          Polícia registra a 20 de agosto tentativa de homicídio na Av. Josué de Queiroz. O tiroteio num bar deixou feridos [66].
-          Apreensão de entorpecentes na Praça Santa Terezinha [67].
-          De 15 a 17 de setembro realiza-se em São João del-Rei o III Encontro Nacional de Capoeira. Os organizadores são do grupo Muzenza, da Vila Santa Terezinha. A Roda de Abertura ocorreu na Praça de Matosinhos.
-    “Em Matosinhos, policiais prenderam em flagrante uma pessoa por porte de substância amarelada aparentando ser crack no feriado de quinta-feira, 7”  [68].
-          Segundo a mesma fonte anterior, o programa de recuperação de calçadas é programado para ser iniciado por Matosinhos. No Pio XII a situação estava crítica.
-          Na Rua Expedicionário Batista Rios (Vila Santa Terezinha), ocorre um assalto à mão armada na tarde de 18 de setembro [69].
-           No combate às máquinas de apostas caça-níqueis, a Polícia Militar apreendeu a 19 de setembro, na Rua Virgílio Carazza, Matosinhos, uma máquina e o comerciante do estabelecimento onde ela estava [70].
-          Em fase de construção, no segundo semestre, uma praça e um posto de saúde no Bom Pastor.
-          Acidente de moto na Rua Carlos Montuanelli, ao lado da Praça Pedro Paulo, mata um homem [71]. No barranco da linha férrea foi fincada mais uma cruz, marcando o fato.
-           Dia 22 de outubro a Polícia Militar registrou cinco tentativas de homicídio em Matosinhos [72].
-           A 26 de outubro registra-se mais um assassinato por arma de fogo na cidade. A vítima morreu com tiros na cabeça, na Avenida Santos Dumont, Matosinhos [73].
-          Novembro principia trágico: no sábado, dia 4, um jovem é assassinado com dois tiros na paragem de Tocos [74]. No mesmo dia um homem morre após ser atropelado pela Maria Fumaça, na Praça Pedro Paulo. Não obstante todos os esforços do maquinista e do foguista, não foi possível parar a composição. A locomotiva o arrastou por cerca de dez metros e o homem ficou preso sob o limpa-trilhos. O acidente foi muito comentado e deixou os que o viram ao vivo perplexos, pela intensidade dos ferimentos causados, conforme pude observar quase que no instante do acidente. Os bombeiros, com uso de macacos hidráulicos, suspenderam um pouco a dianteira do trem para tirar o corpo. Este foi um dos raríssimos acidentes ferroviários nesta cidade, que desde muitos anos não era visto[75].
-          Chuvas fortes dos meados de novembro causam estragos em vários pontos da cidade, inclusive Matosinhos.
-          A 2ª Semana Municipal da Consciência Negra contou dentre muitos eventos, com a participação da Corte e Cavalgada do Divino, constando na programação (folder). Vários Congados estiveram presentes e inclusive o grupo de capoeira “Muzenza”. O imperador desfilou de terno completo e faixa, cetro e coroa, sobre uma charrete. O grupo Raízes da Terra demonstrou imensa atividade.
-          Apreensão de crack na Rua Eneida Sete Campos, a 16 de novembro. Na mesma semana foi registrada uma tentativa de homicídio na Avenida Josué de Queiroz, Vila Santa Terezinha [76].


*  *  *

Quase todas essas notícias são desagradáveis e fatídicas. Não julguei relevante listar as dos anos seguintes pois estão em geral na mesma linhagem triste. A falta d’água por exemplo voltou às manchetes em outubro de 2007, nas páginas d’O Grande Matosinhos. Os focos de mosquito da dengue cresceram na cidade em 2009, inclusive em Matosinhos [77]. As calçadas da Avenida Josué de Queiroz foram estreitadas em abril de 2009 diminuindo a segurança do pedestre, a despeito dos protestos [78]. A malfadada obra foi feita no mandato do prefeito que em sua gestão anterior havia alargado o mesmo passeio. A recém restaurada estação ainda é ponto de mendicância. E há ainda esta informação [79]:

        A maioria dos estabelecimentos comerciais localizados nos bairros Matosinhos e Fábricas não possui Projeto de Prevenção e Combate a Incêndios e Pânico. Essa foi a conclusão da operação ‘Alerta Vermelho’, deflagrada pelo Corpo de Bombeiros de São João del-Rei no final de 2007. Dos 291 estabelecimentos comerciais vistoriados nos dois bairros, 265 não tinham ainda providenciado o projeto de combate a incêndio, embora a exigência esteja regulamentada em lei, desde abril de 2006.

 Não estou agredindo ao bairro, mas apenas mostrando sua realidade, já que “nem tudo são flores”. A fase áurea das célebres chácaras é o relato de um passado romântico, 100% distante do mundo atual. 

Essas notícias se forem absorvidas, levarão o leitor ao pessimismo e não é este meu objetivo, mas apenas alcançar o realismo; mostrar sem disfarces a verdade de nossos dias, os problemas que seus moradores enfrentam, os clamores não ouvidos, as promessas caducadas. As questões sociais estão calcadas nas diferenças de nível econômico, na educação, no racismo, na discriminação, na exclusão, na ingerência.

Esperança e ilusão não podem ser misturadas. Particularmente não creio num futuro melhor para o bairro, embora pense que isso não deva servir de desalento às atividades em prol de suas melhorias. Para que desilusão se transforme em esperança, as cobranças de atitude das autoridades devem ser contínuas. O aspecto educacional, a consciência política e o esclarecimento midiático deveriam ser as premissas de um processo renovador.

No entanto, para contrabalançar, surgem vez por outra boas notícias. No segundo semestre de 2007 foi criada uma escola de música sediada na paróquia do bairro, ensinando a jovens instrumentos e canto coral. Dela já surgiu a Banda de Música Senhor Bom Jesus de Matosinhos, cuja primeira apresentação foi no jubileu do padroeiro de 2008. O Jornal de Minas nº 92 anunciou que lojistas se uniram em Matosinhos para dar um novo aspecto ao Natal no bairro, através de “uma grande estrutura com iluminação, sonorização, apresentações culturais, além de promoções, como o sorteio de brindes”. A Gazeta de São João del-Rei nº 476 anuncia a interdição pela justiça das noitadas em dois clubes no bairro até sua adequação às normas, sem dúvidas um sossego para os moradores. A violência felizmente está em queda em toda área de cobertura policial pelo 38º Batalhão da PM, sediado nesta cidade, desde sua implantação no primeiro trimestre de 2005, exercendo excelente trabalho. A queda é da ordem de 83,33% [80].

A esse respeito vale complementar com a notícia veiculada sob o título “Justiça fecha bares da Praça do Matosinhos” [81], acerca do trabalho excelente do 38º Batalhão da PM que reduziu em três anos mais de 80% do índice de violência na cidade. O fechamento provisório dos bares e trailers, motivado por diversas irregularidades, se deu por ordem judicial e veio em boa hora: só em 2008, até 26 de julho, 248 boletins de ocorrência haviam sido registrados motivados por problemas na praça. Em quinze dias de fechamento o número de ocorrências locais veio a zero. A própria prefeitura na seqüência de ações notificou os proprietários a desocuparem os trailers. A 30 de dezembro enfim eles foram demolidos, desaparecendo da praça a figura inerte daquele trem de concreto. O caso foi amplamente coberto pela imprensa, com a promessa de revitalização do largo [82].

A obra de reforma plena do largo veio em fins de 2009 e princípio de 2010.

A partir de uma mobilização do Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei, corre o processo envolvendo o retorno da portada da primitiva igreja demolida do Senhor de Matosinhos ao bairro. É uma notícia auspiciosa, divulgada pela imprensa [83].

A ação da população muitas vezes ajuda a polícia a solucionar questões. É o caso do furto de aparelhos eletrônicos a 17/04/2009 realizado na Escola Estadual Governador Milton Campos. A partir de uma denúncia anônima chegou-se aos autores do crime[84].

Enfim corre notícia da revitalização da praça principal, inacabada desde a retirada dos trailers, obra tão aguardada e necessária[85]. Foi inaugurada em maio de 2010, seguida de obras de recapeamento asfáltico na principal via de trânsito.

A década seguinte adentra sem grandes alterações, neste quadro mas é preciso destacar alguns pontos. 

O ano de 2011 é marcado pela vinda do novo pároco para Matosinhos, Padre José Bittar, em substituição ao Padre José Raimundo. Destaque também para atuação do novo vigário, Padre Admilson Heitor de Paiva (2012/2013) e nos dois anos seguintes do Padre Geraldo Sérgio França.

Em 2012 a praça ganhou aparelhos de ginástica para uso livre da população.

Ainda em 2012 foi bastante notória a inauguração e bênção da nova Capela do Santíssimo Sacramento. Em 2013 é inaugurada a nova sacristia do santuário, bastante ampla. 

No dia maior do Jubileu do Divino de 2015, um acidente com o caminhão de coleta do lixo vitimou um trabalhador do mesmo e feriu outros dois. O eixo traseiro com as quatro rodas saiu inteiro. A tragédia, que aconteceu na Avenida Sete de Setembro, consternou a todos no evento festivo e se tornou a notícia mais difundida pela cidade. 

Outros aspectos de pesquisa do bairro que não foram aqui contemplados ou que foram abordados de forma superficial, podem contudo ser bem avaliados e aprofundados em obras de outros estudiosos que antecederam, como as figuras humanas de destaque, as diversões, os esportes, etc. [86].

Notas e Créditos

* Texto: Ulisses Passarelli.
** Foto: Iago C.S. Passarelli, 2012.


[1]- GUIMARÃES, João Paulo. Igreja de Bom Jesus de Matosinhos – as razões na sombra: do muro da alma. Tribuna Sanjoanense, n. 1.017, 11/04/2000. 
[2]- O Grande Matosinhos, n. 3, janeiro / 2000
[3]- O Grande Matosinhos, n. 14, dez. / 2000
[4]- O Grande Matosinhos, n. 30, abril/ 2002 
[5]- O Sete de Setembro em Matosinhos. O Grande Matosinhos, n. 48, out. / 2003. Matosinhos. Gazeta de São João del-Rei, n. 264, 06/09/2003.
[6]- O Grito dos Excluídos . O Grande Matosinhos, n. 48, out. / 2003.
[7]- O Grande Matosinhos, n. 46, ag. / 2003.
[8]- Gazeta de São João del-Rei, n. 282, 17/01/2004.
[9]- Gazeta de São João del-Rei, n. 289, 06/03/2004.
[10]- O restaurante Popular I foi inaugurado no andar superior do Mercado Municipal, no centro da cidade. O terceiro foi inaugurado tempos mais tarde no Tijuco. 
[11]- Convênio com Estado garante Posto de Saúde. Gazeta de São João del-Rei, n. 291, 20/03/2004.
[12]- Festa do Divino colore as ruas do Matosinhos. Gazeta de São João del-Rei, n. 301, 05/06/2004.
[13]- Cf.: Tiro pelas costas mata rapaz no Matosinhos. Gazeta de São João del-Rei, n.310, 31/07/2004 ; Está preso suspeito de participar de homicídio. Gazeta de São João del-Rei, n.312, 14/08/2004; Tiros em Matosinhos, Folha das Vertentes, n. 10, 2ª quinzena de julho / 2004.
[14]- Cf.: Polícia II. O Grande Matosinhos, n. 54, jun. / 2004.
[15]- Sobre o histórico do Chafariz da Deusa Ceres e informações desta personagem da mitologia grega, ver:
CARVALHO, José Maurício. Chafariz da deusa Ceres. Tribuna Sanjoanense, n. 1.040, 03/10/2000.
[16]- IHG quer reaver portada da antiga Igreja do Matosinhos. Gazeta de São João del-Rei, 30/08/2004.
[17]- Cf.: Outra vez o trânsito. O Grande Matosinhos, n. 54, jun. / 2004.
[18]- O Grande Matosinhos, n. 56, agosto / 2004.
[19]- Jornal de Minas, n. 44, ag./2004.
[20]- Gazeta de São João del-Rei, n.315, 04/09/2004.
[21]- Jornal de Minas, n. 45, set./2004.
[22]- Gazeta de São João del-Rei, n. 319, 02/10/2004.
[23]- O Grande Matosinhos, n. 57, set. / 2004.
[24]- O Grande Matosinhos, n. 57, set. / 2004.
[25]- O Grande Matosinhos, n. 56, ag. / 2004. Sobre o andamento do caso ver também: Estado de Minas, n. 24.370, 24/09/2008, Belo Horizonte, Caderno Gerais; Gazeta de São João del-Rei, n.526, 27/09/2008; Folha das Vertentes, n. 111, set. / 2008.
[26]- Gazeta de São João del-Rei, n. 325, 13/11/2004; Informativo ACI Del-Rei, n.117, dez.2004.
[27]- Gazeta de São João del-Rei, n. 310, 31/07/2004; n. 311, 07/08/2004; n. 313, 21/08/2004; n. 320, 09/10/2004.
[28]- Gazeta de São João del-Rei, n. 324, 06/11/2004.
[29]- Folha das Vertentes, n. 19, dez. / 2004.
[30]- Folha das Vertentes, n. 19, dez. / 2004.
[31]- Gazeta de São João del-Rei, n. 334, 22/01/2005.
[32]- Gazeta de São João del-Rei, n. 345, 09/04/2005 e Folha das Vertentes, n. 23, fev. / 2005.
[33]- Gazeta de São João del-Rei, n. 348, 30/04/2005.
[34]  - Gazeta de São João del-Rei, n. 350, 14/05/2005.
[35]  - Gazeta de São João del-Rei, n. 351, 21/05/2005.
[36]  - Gazeta de São João del-Rei, n. 352, 28/05/2005.
[37]  - Gazeta de São João del-Rei, n. 339, 26/02/2005.
[38]  - Atos Oficiais, n. 1, jul. / 2005.
[39]  - Gazeta de São João del-Rei, n. 356, 25/06/2005.
[40]  - Atos Oficiais, n. 1, jul./2005.
[41]  - O Grande Matosinhos, n. 67, jul. / 2005.
[42]  - O Grande Matosinhos, n. 67, jul. / 2005.
[43]- ACI del-Rei, n. 125, ag. / 2005.
[44]- Gazeta de São João del-Rei, n. 363, 13/08/2005.
[45]- Folha das Vertentes, n. 37, set./2005.
[46]- Folha das Vertentes, n. 37, set. / 2005.
[47]- Gazeta de São João del-Rei, n. 366, 03/09/2005.
[48]- Gazeta de São João del-Rei, n. 367, 10/09/2005.
[49]- Gazeta de São João del-Rei, n. 370, 01/10/2006.
[50]- Gazeta de São João del-Rei, n. 370, 15/10/2005; Folha das Vertentes, n. 40, out. / 2005.
[51]- Gazeta de São João del-Rei, n. 383, 31/12/2005.
[52]- Folha das Vertentes, n. 42, nov./2005.
[53]- Boletim Informativo da PM, nov.2005.
[54]- Gazeta de São João del-Rei, n. 379, 03/12/2005.
[55]- Gazeta de São João del-Rei, n. 387, 20/01/2006.
[56]- Gazeta de São João del-Rei, n. 388, 04/02/2006.
[57]- Gazeta de São João del-Rei, n. 389, 11/02/2006.
[58]- Gazeta de São João del-Rei, n. 394, 18/03/2006.
[59]- Gazeta de São João del-Rei, n. 397, 08/04/2006.
[60]- Folha das Vertentes, n. 51, abr. / 2006.
[61]- Na Imprensa, n. 10, 21/04/2006.
[62]- Gazeta de São João del-Rei, n. 403, 20/05/2006; Folha das Vertentes, n. 54, maio/2006.
[63]- Folha das vertentes, n. 55, jun. / 2006.
[64]- Gazeta de São João del-Rei, n. 406, 10/06/2006
[65]- Gazeta de São João del-Rei, n. 407, 17/06/2006.
[66]- Gazeta de São João del-Rei, n. 417, 26/08/2006.
[67]- Gazeta de São João del-Rei, n. 418, 02/09/2006.
[68]- Gazeta de São João del-Rei, n. 420, 16/09/2006.
[69]- Folha das Vertentes, n. 62, set. / 2006.
[70]- Idem. Cf. também: Gazeta de São João del-Rei, n. 421, 23/09/2006.
[71]- Gazeta de São João del-Rei, n. 424, 14/10/2006.
[72]- Gazeta de São João del-Rei, n. 426, 28/10/2006.
[73]- Gazeta de São João del-Rei, n. 427, 04/11/2006.
[74]- Nome devido aos restos de madeira que sustentavam o pontilhão da via férrea para as Águas Santas, sobre o Rio das Mortes, em Matosinhos, no fundo do Jardim Paulo Campos.
[75]- Gazeta de São João del-Rei, n. 428, 11/11/2006.
[76]- Gazeta de São João del-Rei, n. 430, 25/11/2006.
[77]- Gazeta de São João del-Rei, n.550, 14/03/2009.
[78]- Gazeta de São João del-Rei, n.555, 18/04/2009.
[79]- Gazeta de São João del-Rei, n. 488, 05/01/2008.
[80]- Gazeta de São João del-Rei, n. 502, 12/04/2008.
[81]- Gazeta de São João del-Rei, n. 522, 30/08/2008.
[82]- Folha das Vertentes, n.118, jan./2009; Gazeta de São João del-Rei, 03/01/2009, n.540.
[83]- Folha das Vertentes, n. 111,  set. / 2008; Gazeta de São João del-Rei, n.526 27/09/2008; Estado de Minas, n.24.370, 24/09/2008.
[84]- Gazeta de São João del-Rei, n.556, 25/04/2009.
[85]- Gazeta de São João del-Rei, n. 560, 23/05/2009.
[86]- Air de Souza Resende revelou em sua coluna n’O Grande Matosinhos (n. 56, ag. / 2004), que a 1ª Exposição Agropecuária de São João del-Rei, no Parque do Trabalhador (inaugurado em 11/08/2004), deveria na verdade ser a terceira posto que uma primeira foi feita numa fábrica desativada em Matosinhos e uma segunda numa indústria também desativada, no Bairro das Fábricas, “para não desmerecer aqueles que com entusiasmo e sacrifícios, fizeram exposições”. Sobre aspectos humanos e figuras de destaque ver: 
HENRIQUES, José Cláudio. Mais um matosinhense em destaque. O Grande Matosinhos, n. 56, ag./2004.
LIMA, Rogério Medeiros Garcia de. Filho ilustre de Matosinhos. O Grande Matosinhos, n. 55, jul. / 2004.
PEREIRA, José Antônio. Carta. O Grande Matosinhos, n. 47, set. / 2003.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário