Bem vindo!

Bem vindo!Esta página está sendo criada para retransmitir as muitas informações que ao longo de anos de pesquisas coletei nesta Mesorregião Campo da Vertentes, do centro-sul mineiro, sobretudo na Microrregião de São João del-Rei, minha terra natal, um polo cultural. A cultura popular será o guia deste blog, que não tem finalidades político-partidárias nem lucrativas. Eventualmente temas da história, ecologia e ferrovias serão abordados. Espero que seu conteúdo possa ser útil como documentário das tradições a quantos queiram beber desta fonte e sirva de homenagem e reconhecimento aos nossos mestres do saber, que com grande esforço conservam seus grupos folclóricos, parte significativa de nosso patrimônio imaterial. No rodapé da página inseri link's muito importantes cuja leitura recomendo como essencial: a SALVAGUARDA DO FOLCLORE (da Unesco) e a CARTA DO FOLCLORE BRASILEIRO (da Comissão Nacional de Folclore). Este dois documentos são relevantes orientadores da folclorística. O material de textos, fotos e áudio-visuais que compõe este blog pertencem ao meu acervo, salvo indicação contrária. Ao utilizá-lo para pesquisas, favor respeitar as fontes autorais.


ULISSES PASSARELLI




segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Uma doce tradição... os cartuchos de amêndoas

Uma tradição muito arraigada em São João del-Rei e cidades vizinhas é a confecção de amêndoas açucaradas, encartuchadas em cone, para venda comum na própria residência de quem as faz, ou fornecida a algum estabelecimento comercial, tanto mais, nas próprias vias públicas dispostas sobre bancas de armar, mormente diante das igrejas por ocasião das festas religiosas. 

Os cartuchos de amêndoas constituem uma antiga tradição alimentar dos festejos são-joanenses. Festeiros os encomendam às doceiras que dominam esta arte culinária e os distribuem com especificidade: aos reis, rainhas, príncipes e princesas das Festas do Rosário (durante o ritual da chamada); aos membros de irmandades e confrarias; às crianças que saem nas procissões vestidas de anjos e virgens. GAIO SOBRINHO (2006) apontou mais um emprego em São João del-Rei: 

"o costume de brindar aos anciãos que figuravam de apóstolos na cerimônia do Lava-pés, na quinta-feira santa, com um grande cartucho de amêndoas, lindamente colorido e enfeitado. Era uma atração a mais do cerimonial que, há alguns anos, foi interrompida, sabe-se lá por que razões, da mesma maneira que os anciãos apóstolos foram substituídos, com enorme perda de verossimilhança, por meninos coroinhas embatinados." (sic, p.18)

O autor registrou detalhadamente a técnica de produção, bastante trabalhosa e que detém o conhecimento do "ponto" exato que as amêndoas ficam prontas, algo que as cartucheiras adquirem com a experiência. 

Sua confecção é de cunho caseiro, artesanal, em tachos de cobre, com amendoim e coco, açucarados em calda, com aspecto granulado, ou melhor, floculado. Os cartuchos em si são cônicos, feitos em papel ofício com pinturas populares de motivos florais, em padrões característicos de cada vendedor. Na banca o vendedor os organiza em pilhas simétricas ou raiações, para melhor efeito estético do produto. 

Nas festas da zona rural aparecem cartuchos em vez de pintados, revestidos de camada de papel-crepon picotado em alças e franjas, conferindo um aspecto sui-generis

1- Banca de cartucheira montada durante a Festa de Nossa Senhora do Carmo,
São João del-Rei, 16/07/2014.  Ao fundo, um tradicional carrinho de pipocas.

2- Detalhe dos cartuchos da banca da fotografia 1, destacando-se
a intensidade do colorido e a pintura com motivos florais. 

3- Detalhe da uniformidade da pintura dos cartuchos e a
caprichosa organização dos cartuchos sobre a banca.
São João del-Rei, década de 1990. 

4- Uma banca com cartuchos tradicionais e ao lado, amêndoas de
menor tamanho ensacadas. São João del-Rei, em frente a Catedral do Pilar.

5- Banca de cartuchos fotografada na Quinta-feira Santa de 2014,
durante a Visitação das Igrejas, diante da Catedral do Pilar. 

6- Cartuchos de amêndoas revestidos de papel picotado.
Festa de São Miguel Arcanjo, 29/09/1999.
São Miguel do Cajuru (São João del-Rei/MG).

Notas e Créditos 

* Texto: Ulisses Passarelli
** Fotografias: 1, 2 e 5 - Iago C.S. Passarelli; 3, 4 e 6: Ulisses Passarelli
*** Obs.: artigo revisto e ampliado em 21/05/2017, inclusive com inserção de mais fotografias.


Referências Bibliográficas

GAIO SOBRINHO, Antônio. São João del-Rei: 300 anos de histórias. [s.l. ; s.n.], 2006. 196p. Um gostinho de saudade nos cartuchos de São João del-Rei, p.17-19. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário