Bem vindo!

Bem vindo!Esta página está sendo criada para retransmitir as muitas informações que ao longo de anos de pesquisas coletei nesta Mesorregião Campo da Vertentes, do centro-sul mineiro, sobretudo na Microrregião de São João del-Rei, minha terra natal, um polo cultural. A cultura popular será o guia deste blog, que não tem finalidades político-partidárias nem lucrativas. Eventualmente temas da história, ecologia e ferrovias serão abordados. Espero que seu conteúdo possa ser útil como documentário das tradições a quantos queiram beber desta fonte e sirva de homenagem e reconhecimento aos nossos mestres do saber, que com grande esforço conservam seus grupos folclóricos, parte significativa de nosso patrimônio imaterial. No rodapé da página inseri link's muito importantes cuja leitura recomendo como essencial: a SALVAGUARDA DO FOLCLORE (da Unesco) e a CARTA DO FOLCLORE BRASILEIRO (da Comissão Nacional de Folclore). Este dois documentos são relevantes orientadores da folclorística. O material de textos, fotos e áudio-visuais que compõe este blog pertencem ao meu acervo, salvo indicação contrária. Ao utilizá-lo para pesquisas, favor respeitar as fontes autorais.


ULISSES PASSARELLI




quarta-feira, 16 de abril de 2014

Quando começou a encomendação de almas no Brasil?

Certo dia fui alvejado com a pergunta que intitula esta postagem. Pessoalmente penso que foi junto com o próprio Brasil. Mas de fato não existem muitas indicações concretas de datação. A maior parte das notícias procedem do século XX e algumas do anterior. Contudo há razões para suspeitar numa prática bem mais antiga, à moda portuguesa, com finalidade catequética. Elementos da cultura popular foram bastante usados como meio de evangelização no passado.  

A este respeito, eis uma citação interessante, levantada por Tinhorão: o padre jesuíta Fernão Cardim, na obra "Tratados de Terra e Gente do Brasil", secretário do visitador Cristóvão de Gouveia, em 1583, após visitar três aldeias baianas, relatou que os meninos índios aprendiam muito bem o que lhes ensinava os portugueses, entre os quais, rezar, cantar, tocar instrumentos europeus, falar português e ainda "cantam à noite a doutrina pelas ruas e encomendam as almas do purgatório."

Abaixo retratado o grupo de São João del-Rei, encomendando almas no portão do Cemitério Municipal, o "Quicumbi", como é mais conhecido este campo santo.



Referência Bibliográfica

TINHORÃO, José Ramos. As festas no Brasil colonial. São Paulo: Ed.34, 2000. 176p.il. p.32.

Notas e Créditos 

* Fotografias: Iago C.S. Passarelli, 28/03/2014
** Texto: Ulisses Passarelli
***Leia também: Encomendação de Almas em Conceição da Barra de Minas 

Nenhum comentário:

Postar um comentário