Bem vindo!

Bem vindo!Esta página está sendo criada para retransmitir as muitas informações que ao longo de anos de pesquisas coletei nesta Mesorregião Campo da Vertentes, do centro-sul mineiro, sobretudo na Microrregião de São João del-Rei, minha terra natal, um polo cultural. A cultura popular será o guia deste blog, que não tem finalidades político-partidárias nem lucrativas. Eventualmente temas da história, ecologia e ferrovias serão abordados. Espero que seu conteúdo possa ser útil como documentário das tradições a quantos queiram beber desta fonte e sirva de homenagem e reconhecimento aos nossos mestres do saber, que com grande esforço conservam seus grupos folclóricos, parte significativa de nosso patrimônio imaterial. No rodapé da página inseri link's muito importantes cuja leitura recomendo como essencial: a SALVAGUARDA DO FOLCLORE (da Unesco) e a CARTA DO FOLCLORE BRASILEIRO (da Comissão Nacional de Folclore). Este dois documentos são relevantes orientadores da folclorística. O material de textos, fotos e áudio-visuais que compõe este blog pertencem ao meu acervo, salvo indicação contrária. Ao utilizá-lo para pesquisas, favor respeitar as fontes autorais.


ULISSES PASSARELLI




quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Três Marias

Três Marias é o nome popular das estrelas Alnitek, Anilam e Mintaka, que formam a Cinta ou Talabarte da constelação de Órion. De acordo com a mitologia grega, Órion ou Oríon era um caçador gigantesco, filho de Poseidon (deus do mar). Artemis (deusa da caça) fez com que um escorpião o picasse sendo então transformado em constelação, junto com o artrópode. 

A cristianização se deu por analogia às três mulheres de nome Maria, postadas, segundo a tradição, lamentosamente, aos pés da cruz de Cristo: Maria Madalena - a pecadora arrependida, Maria de Cléofas e Maria de Salome, ou Maria Salomé, como chegou-nos. 

Explica o texto apócrifo “História de José, o Carpinteiro”, que Santa Ana (Santana) casou-se três vezes. A primeira com São Joaquim, gerando Maria de Nazaré, mãe de Jesus; a segunda com Cléofas, irmão de São José, nascendo outra Maria, dita “de Cléofas” e a terceira vez com Salome, dando a terceira Maria. Maria de Cléofas esposou Alfeu, gerando Tiago Menor e o apóstolo São Filipe. Maria de Salome teve com Zebedeu os apóstolos São Tiago Maior e São João Evangelista. Estas três Marias geraram a tradição da Maria Beú

Maria Beú é um personagem do mais solene préstito religioso do ciclo quaresmal, a Procissão do Enterro, da Sexta-feira da Paixão. No preto do luto se vestem, véu à cabeça, lamentando de tanto em tanto a morte do Senhor com uma plangente expressão latina: 

Heu! Domine,
Salvator noster!

A dolorosa interjeição soando "héuuu..." inspirou a corruptela "beú". 

Uma cena incomum: quatro Marias Beú. A tradição popular prescreve três, mas pela dinâmica intensa está sempre sujeita a reinterpretações. Santa Cruz de Minas, abril/1999. 

Outra via de cristianização denomina as estrelas de “Três Reis Magos”. Talvez neste sentido em especial, se liguem os seguintes versos de folias de Reis, que ouvi nos anos noventa de dois memoráveis foliões de São João del-Rei, Luís Santana, no Bairro São Dimas, e "Luís Candinho", no povoado do Fé: 

Encontrei com as Três Marias
Numa noite de luar, 
procurando a Jesus Cristo
sem nunca poder achar...

Foram dar com ele em Roma,
revestido no altar, 
com o cálice bento na mão, 
missa nova ia cantar. 

Na verdade estas duas quadras são muito tradicionais, conhecidas em várias regiões, de plausível procedência ibérica.

Folia de Reis, povoado do Fé (São João del-Rei/MG), 1993. 
Ao centro de chapéu e viola artesanal ao peito, o saudoso mestre Luís Cândido Gonçalvez, o "Candinho".

Fontes Bibliográficas

CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. Rio de Janeiro: Ediouro, [s.d.]. 930p. 
GAIO SOBRINHO, Antônio. Visita à Colonial Cidade de São João del-Rei. São João del-Rei: Funrei, 2001. 128p. 
SÃO JOSÉ E O MENINO JESUS. Org. Lincoln Ramos. 4.ed. Petropólis: Vozes, 2001. 

* Texto e fotos: Ulisses Passarelli

4 comentários:

  1. Sempre aprendo com seus posts! Obrigado. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. A recíproca é verdadeira! Com grata atenção, desejo-lhe uma boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Eu estou em uma pesquisa histórica para uma procissão da minha cidade, a do Senhor Jesus dos Passos, que também tem 3 beús, porém não consegui encontrar a origem e significado do nome "beú". Aqui é o único lugar onde encontrei alguma explicação. Poderia me fornecer mais fontes específicas desta interpretação (de "beú" ser a corruptela de "heu...")?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Inicialmente agradeço-lhe pela visita ao blog. Volte sempre a ler as postagens.
      Sobre o que indaga, de fato o termo beú é enigmático e são poucas as fontes. Uma das consultadas (e está na referência bibliográfica) - "Visita à Colonial Cidade de São João del-Rei" diz à página 115: "As três marias (Maria Salomé, Maria de Cléofas, Maria Madalena), que a piedade popular denominou de 'marias beús' (da interjeição latina: Heu!), carpem como se chorassem sobre um defunto: 'Heu! Domine, Salvator noster!' a que o coro responde lamentoso: 'Pupili facti sumus absque patre, matres nostrae quasi viduae!'
      A interjeição "Heu!" equivale ao "ai!" em português, tendo portanto o sentido de lamento: "Ai! Senhor, nosso Salvador!".
      Em outra fonte (Piedosas e Solenes Tradições de nossa Terra, v.1, A Quaresma e a Semana Santa em São João del-Rei, 2.ed. 1997, p.368) as béus são denominadas de as "Santas Mulheres".
      É tudo que posso contribuir neste momento. Boa sorte em sua pesquisa.

      Excluir