Bem vindo!

Bem vindo!Esta página está sendo criada para retransmitir as muitas informações que ao longo de anos de pesquisas coletei nesta microrregião Campos da Vertentes, do centro-sul mineiro, tendo como polo cultural a histórica São João del-Rei, minha terra natal. A cultura popular será o guia deste blog, que não tem finalidades políticas nem lucrativas. Eventualmente temas da história, ecologia e ferrovias serão abordados. Espero que seu conteúdo possa ser útil como documentário das tradições a quantos queiram beber desta fonte e sirva de homenagem e reconhecimento aos nossos mestres do saber, que com grande esforço conservam seus grupos folclóricos. No rodapé da página inseri dois link's muito importantes cuja leitura recomendo como essencial: a SALVAGUARDA DO FOLCLORE (da Unesco) e a CARTA DO FOLCLORE BRASILEIRO (da Comissão Nacional de Folclore). Este dois documentos são relevantes orientadores da folclorística. Também aconselho a visita a outros blogs e sites que tratam de nossa cultura, lincados na barra lateral desta página. O material de textos, fotos e áudio-visuais que compõe este blog pertencem ao meu acervo, salvo indicação contrária. Ao utilizá-lo para pesquisas, favor respeitar as fontes autorais.


ULISSES PASSARELLI


VISITE TAMBÉM MEU BLOG SOBRE A FESTA DO DIVINO DE SÃO JOÃO DEL-REI. CLIQUE NESTE LINK - MATOSINHOS: história & festas



terça-feira, 30 de abril de 2013

O tal de São Manso...

A Oração de São Marcos e São Manso

           Nos meios populares merece um respeito especial um grupo grande de preces reconhecidas como especiais, por alcançarem um resultado extraordinário em casos extremos de grande perigo ou dificuldade, abrandando inimigos e expulsando maus espíritos. São  as chamadas "rezas bravas" ou "orações fortes". 
           Os folcloristas tem cuidado de registrá-las e comentá-las e no livro Meleagro, de Luís da Câmara Cascudo, encontram-se algumas bastante significativas, cuja leitura recomendo, posto que contextualizadas nos rituais de catimbó, tão bem documentados por aquele mestre. 
            Em outro livro seu, o Dicionário do Folclore Brasileiro, consultando o verbete "São Marcos" se depara com tradições que envolvem este santo à figura do boi, animal que não lhe é iconograficamente simbólico (o leão é o bicho que aparece ao lado de sua representação) e o estudioso ensina: "o touro de São Marcos, pertencia à classe das sobrevivências greco-romanas".
           Ora, certa feita, dialogando com Silvério Parada em São João del-Rei, disse-me que, em conversa com um velho carreiro, este lhe ensinou que se um carro de bois empacasse, ou seja, os bois teimassem em não andar puxando o rude veículo, mesmo às custas de brados dos carreiros e golpes da vara de ferrão (sua ferramenta), então um inimigo teria "amarrado" o carro, isto é, às custas de algum feitiço o teria travado espiritualmente o funcionamento. Para solucionar o caso a receita secreta, que o carreiro experiente sabe é a seguinte: cruzar as juntas de boi, passando os bois de coice para a guia e os da guia para o coice (ou seja, de trás para frente e vice-versa) e rezar a "Oração de São Manso", capaz de, num caso desses, desmanchar o malefício.

Carro de bois entre os povoados da Cruz das Almas e o Fé, São João del-Rei/MG.

       O conhecimento que tinha dessa reza era a de amansar o próprio gênio humano, acalmando o nervosismo e a inimizade. Ainda como reminiscência da infância lembro-me de minha mãe recitando uma oração dessas e eu sempre a achava engraçada por causa daquele nome, "São Manso". Afinal, quem seria? Ela me repreendia mas criança é criança, enfim. Fora uma tia emprestada, do bairro Tijuco, que a ensinara a muitos anos, a "Titota":

"(... fulano:) São Marcos que te marque,
São Manso que te amanse. 
São Sincome!
São Sincome!
São Sincome!" 

            Procurando por seu caderno de orações, ciumentamente conservado por décadas, encontrei outra e ora a transcrevo, tal e qual: 

"São Marcos que me marque,
São Manso que me amanse.
Jesus Cristo me abrande o coração
E me parte o sangue mau.
A hóstia consagrada entre em mim.
Se meus inimigos tiverem mau coração
Não tenham cólera contra mim.
Assim como São Marcos e São Manso foram no monte
E nele havia touros bravos e mansos cordeiros
E os fizeram presos e pacíficos nas moradas de suas casas,
Debaixo do meu pé esquerdo,
Assim como as palavras de São Marcos e São Manso são certas, repito:
“Filho, pede o que quiseres, que serás servido,
E na casa em que pousar,
Se tiver cão de fila,
Retire-se do caminho.
Que nenhuma coisa se mova contra mim,
Nem vivos, nem mortos,
Batendo na porta com a mão esquerda,
Desejo que imediatamente se abra.”
Jesus Cristo, Senhor Nosso, desceu da cruz,
Assim como Pilatos, Herodes e Caifás foram os algozes de Cristo.
Ele consentiu todas essas tiranias, assim como o próprio Jesus Cristo quando estava no horto , fazendo sua oração,
Virou-ser e viu-se cercado de seus inimigos, disse: “sursum corda” [corações ao alto]
Caíram todos no chão,
Até acabar sua santa oração.
Assim como as palavras de Jesus Cristo,
São Marcos, São Manso, abrandaram o coração de todos os homens de mau espírito,
Os animais ferozes e de tudo que consigo, se quiser opor,
Tanto os vivos, tanto os mortos,
Tanto na alma, quanto no corpo e dos maus espíritos,
Tanto visíveis, quanto invisíveis,
Não sereis perseguido de justiça,
Nem dos meus inimigos que me quiserem causar dano,
Tanto no corpo, como na alma.
Viverei sempre sossegado (a) na minha casa,
Pelos caminhos e lugares por onde transitar,
Vivendo de qualidade alguma me possa estorvar,
Antes todos me prestem auxílio que eu necessitar.
Acompanhado (a) da presente oração santíssima,
Terei amizade de todo mundo
E todos me quererão bem
E de ninguém serei aborrecido,
Amém."

             É de se imaginar numa provável troca de pronomes na parte inicial, que teria alterado o sentido: o "me" seria em verdade "te", da primeira para segunda pessoa do singular, posto que o objetivo desta prece é amansar o inimigo (te marque, te amanse, te abrande, te parte o sangue mau).

Caderno de orações citado, de Édila Santos Passarelli, 
aberto à página da qual foi transcrita a Oração de São Manso. 2013.

          Antecedendo esta postagem, uma rápida consulta à web me revelou que esta oração, exatamente com esta letra é muito conhecida e tem vários registros, parte de um livro espiritualista chamado Antigo Livro de São Marcos e São Manso.
           Algumas versões que ao longo dos anos li ou ouvi referem-se a "São Marcos Bravo e São Marcos  Manso", variações do mesmo tema. 
             Hoje, quero crer que "São Manso" seja mera corruptela de Santo Amâncio
Uma oração muito curiosa me informou minha esposa, Maria Aparecida de Salles, quando preparava esta postagem, relembrando tê-la ouvido de sua tia materna, Joana de Paula Nascimento, natural da zona rural de Bias Fortes/MG:

"São Manso que te amanse
Assim como amansou a cabra preta
Deu leite a sete mil diabos
Amansai o coração dos meus inimigos
Que estão mais bravos que o capeta." 

           A cabra preta é figura mitológica, de ares demoníacos, e da prece que lhe refere, o mesmo Meleagro supra-citado dá uma importante versão do nordeste brasileiro. 
            Por fim fica claro que o folclore não está distante de nós e mesmo entre nossos parentes e amigos encontramos rica fonte de pesquisa. Carolice à parte, o devocionário popular é uma fonte inesgotável de tradições, que se desdobra em muitas abas, cada qual abrindo um novo universo à pesquisa, cativante à leitura e instigante à etnografia. 

* Para saber mais sobre este tema leia: Vinte e Cinco Rezas Fortes e Benzeções  
** Texto e fotos: Ulisses Passarelli

Nenhum comentário:

Postar um comentário